fbpx

Como a falta de tempo pode afetar a sua saúde?

falta_de_tempo

As rotinas estão cada vez mais corridas, principalmente nas grandes cidades e com o último ano marcado pela pandemia da covid – 19, com o home office, aulas remotas e uma concentração de tarefas em um só lugar. Para muitas pessoas, em vez de sobrar tempo, faltou. O excesso de trabalho ou a tensão causada pela falta dele também são, sem dúvida, algumas das principais razões para a elevação dos níveis diários de estresse atualmente.  Se em algum momento você já sentiu como se houvesse uma falta de tempo e vive sempre preocupada, apressada, pensando no que está por vir, e quanto mais tenta acompanhar essa demanda, mais frustrada se sente. Fique tranquila, você não é a única. Não importa quais sejam as tarefas que preencham o dia a dia, a sensação é sempre a mesma: será que estou cuidando da saúde o suficiente?

Desafios da vida moderna 

Dias corridos no trabalho e uma nova rotina em home office, a necessidade de se destacar profissionalmente ou até mesmo manter a vaga em meio a pandemia. Essa busca faz com que o profissional acumule compromissos e tente produzir cada vez mais.  Outros fatores frequentes da nossa atualidade como o trânsito, a violência, a instabilidade financeira, a correria do dia a dia estão elevando os níveis de estresse diários que podem acabar alterando nossa mente. No final dessa sentença, o resultado é a falta de tempo no mundo moderno e a total falta de perspectivas de como resolver isso. Temos que nos adaptar a essas mudanças, nos preocupando sempre com nosso bem estar.  O nosso desafio diante dessas mudanças da vida moderna é buscar o equilíbrio, sabendo aproveitar o que essas modificações trazem, sem deixar que nossa saúde física e mental sejam prejudicadas.

Impactos na saúde física e mental

Pressa, ansiedade, urgência, um estado de alerta constante e a impressão que não há tempo para fazer tudo que é preciso. Essas são as principais sensações decorrentes da falta de tempo. Essas emoções podem desencadear quadros de transtornos de humor e ansiedade. O estresse é um mecanismo normal do corpo. As substâncias liberadas (como a adrenalina e o cortisol) diante de situações estressantes têm importante papel para o organismo reagir àquela situação. Mas a liberação dessas substâncias de forma crônica e excessiva pode causar alterações no metabolismo e na saúde mental. A maioria das pessoas com altos níveis de estresse se queixam de dores generalizadas — de cabeça, na coluna cervical, na lombar. Apresentam também tremores nas extremidades, visão turva. Quanto maior a exposição a esse tipo de situação, maior será o risco de desenvolver hipertensão arterial, diabetes, fibromialgia e distúrbios na tireoide, entre outros. Também pode ocorrer diversas mudanças no organismo, principalmente no metabolismo e alterações no sono.

Como organizar melhor o seu tempo

Você pode começar modificando alguns costumes prejudiciais. Principalmente aqueles que você já sabe que fazem mal a sua saúde. Como por exemplo, tornar hábitos alimentares mais saudáveis, adotar a prática de exercícios físicos e descrever todas as atividades diárias em uma agenda, para verificar, organizar e otimizar melhor o seu dia. Confira outras dicas!

1. Defina objetivos a curto prazo: Escreva as suas metas mensais, tanto profissionais quanto pessoais, aliviará a sua tensão diária no trabalho. Perceber que se está trabalhando para um objetivo de vida faz com que a tensão seja extinta. Equilibre as suas metas/objetivos entre lazer e responsabilidade. A chave é o equilíbrio.

2. Faça atividades que fujam da rotina: É importante incluir na sua semana atividades que não tenham a ver com a sua carreira. É importante se dedicar a algo que goste, que sinta prazer em realizar. Como por exemplo, aprender um novo idioma, ler, ir ao cinema, fazer aulas de dança, aprender a tocar um instrumento.

3. Diminua o uso da tecnologia: O uso excessivo do smartphone e outros aparelhos tecnológicos têm causado doenças e dependência. Limite a quantidade de tempo que irá ficar exposto a eles. Caminhe um pouco, tenha contato com a natureza, e fique próximo de pessoas positivas.

4. Faça atividades físicas regulares: A prática de atividades é de extrema importância para aliviar o estresse e a tensão cerebral, além de fazer com que o indivíduo se “desligue” no momento do exercício das responsabilidades. A mente fica em um estado mais relaxado.

5. Defina o que é importante e o que é urgente: Entender a diferença entre importância e urgência deixa muito mais simples e fácil fazer essa classificação. Uma atividade é urgente quando tem um prazo de conclusão curto ou quando esse período está perto de expirar ou está atrasado. Já a importância não tem a ver com tempo limite, e sim com a consequência e o impacto de algo na sua vida. Quanto mais algo impactar e tiver o poder de mudar a sua vida ou sua carreira, mais essa atividade será importante. Lembre-se que, qualidade de vida é estar bem consigo e tudo o que o cerca, mantendo o equilíbrio e a felicidade mesmo em circunstâncias adversas. Portanto, nada melhor que aprender desde cedo o quanto é importante e faz bem manter os cuidados com a sua saúde. Mudando seu estilo de vida, mesmo que de forma gradual, você colherá muitos benefícios. Experimente!

banner_plataforma_egolife

10 perguntas e respostas sobre a consulta on-line

consulta_on-line

Você sabia que o atendimento on-line na área da saúde não foi algo criado durante a pandemia de coronavírus? A primeira regulamentação da telemedicina instituída pelo Conselho Federal de Medicina é datada do ano de 2002. A consulta on-line está a um clique de distância do paciente.

No texto que completa duas décadas ano que vem, a modalidade que permite o atendimento virtual foi conceituada como “o exercício da medicina através de metodologias interativas de comunicação audiovisual e de dados”. A Organização Mundial de Saúde já reconhece a telemedicina desde a década de 90. O serviço é destinado especialmente a promover o acesso à saúde para a população que vive em áreas mais remotas e afastadas dos centros urbanos.

Além da regulamentação mais recente (portaria nº 467/2020 do Ministério da Saúde), o atendimento on-line dos psiquiatras também possui o aval da Associação Brasileira para a especialidade. No documento OF. 099/2020/ABP/SEC., a entidade sugere que os profissionais da área estejam atentos às necessidades dos pacientes. E, mesmo em tempos de pandemia, se for necessário, a consulta presencial deve ser uma opção a ser combinada entre pacientes/responsáveis e o psiquiatra.

Consulta on-line: sua saúde mental não pode esperar

Segundo a Associação Brasileira de Psiquiatria, os atendimentos sofreram um aumento significativo durante os primeiros meses de pandemia no ano passado. O levantamento da entidade reuniu informações de profissionais da área de todo o Brasil e apontou um crescimento de até 25% em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Entre as situações dos pacientes, muitos já haviam recebido alta e tiveram recidiva dos sintomas. Muitos usuários que buscaram atendimento médico apresentaram quadros de depressão, ansiedade, transtornos de pânico e alterações no sono.

Se você considera a possibilidade de buscar o auxílio de um psiquiatra, conheça melhor a consulta on-line e veja como ela pode ser acessível. Ressaltamos, ainda, que você pode escolher o profissional de sua preferência, contar com a flexibilidade dos horários, economizar o tempo que gastaria com deslocamento, entre outros benefícios.

Listamos aqui 10 itens básicos para que você não caia em nenhuma cilada ou golpe sobre os atendimentos que estão sendo oferecidos virtualmente. Mesmo em tempos de coronavírus e isolamento social, agora, mais do que nunca, sua saúde integral merece sua atenção.

1 – Que tipo de orientação deve ser respeitada durante uma consulta on-line?

O atendimento remoto deve seguir todas as orientações do Código de Ética da profissão, seja o especialista um médico, psicólogo, psicopedagogo, educador físico, fonoaudiólogo, nutricionista,  fisioterapeuta ou neuropsicólogo.

2 – Como o atendimento é agendado?

Assim como você marca uma consulta presencial, no ambiente virtual também é necessário pré-agendar. A diferença, no entanto, fica por conta da definição de onde será o atendimento, além do fato de você poder usar diferentes plataformas.

A instituição de saúde e/ou o especialista que prestará o serviço deve combinar previamente como será a consulta on-line, quais canais e métodos serão usados. O paciente, por sua vez, precisa ter todas as ferramentas para que a teleconsulta de fato aconteça: internet com boa conexão, acesso à plataforma, auxílio de algum familiar ou acompanhante (se for o caso), etc.

3 – Como acontece a consulta on-line e o que é permitido?

Entre as recomendações está a utilização de vídeo e microfone, pois é importante para o profissional observar alguns sinais físicos e até emocionais  de quem está recebendo o atendimento.

Durante a consulta, as receitas médicas e demais prescrições podem ser encaminhadas por e-mail ou whatsapp do pacientes. O documento, no entanto, deve conter a assinatura digital do especialista. A regra vale também para atestados e relatórios.

4 – A atividade é segura para profissionais e pacientes?

Sim, desde que a captação e privacidade dos dados partilhados durante o atendimento sejam armazenados de forma segura pela instituição que oferece o serviço. O sigilo profissional continua valendo, como se o encontro fosse presencial.

5 – O atendimento virtual na saúde já existia no Brasil?

Sim, a consulta on-line já era uma modalidade liberada para psicólogos. Devido à pandemia de coronavírus, outros profissionais da área de saúde também puderam disponibilizar os atendimentos de forma virtual. Todos os detalhes estão disponíveis na portaria nº467, do Ministério da Saúde, datada de março de 2020.

6 – Posso ser atendido por um profissional de qualquer lugar do país?

Sim. O acesso é livre, inclusive para quem mora fora do país e quer ser consultado em seu idioma de origem. Há pessoas que buscam uma segunda opinião, de regiões onde há tratamentos mais avançados. E também casos daqueles que se mudam e gostariam de ser acompanhados pelo mesmo especialista, ainda que esteja longe fisicamente. Converse com o profissional e veja as possibilidades disponíveis.

7 – Como acontece a prescrição médica nesses casos?

A prescrição de medicamentos ou o encaminhamento para exames também pode ser feita na consulta on-line. Para isso, é necessário que o documento emitido tenha os dados de identificação do médico, do paciente, assim como data, horário e assinatura digital de quem prestou o atendimento.

8 – Outras pessoas terão acesso ao meu prontuário e diagnósticos?

O compartilhamento dos dados só acontecerá mediante a autorização prévia do paciente. Quando ressaltamos que a consulta on-line otimiza o tempo, isso também está relacionado ao estudo do caso clínico. Com os dados no ambiente virtual, é possível que outros especialistas possam ajudar em seu diagnóstico e acompanhamento através de relatórios e resultados de exames.

9 – Quais são as principais vantagens do serviço remoto?

A consulta on-line é vantajosa para os pacientes por dispensar a  necessidade de deslocamento e oferecer conforto, comodidade e praticidade.

É importante dizer que, apesar do destaque sobre o atendimento virtual para que algumas pessoas mantenham o isolamento social, outras terão acesso a tratamentos relacionados à saúde mental pela primeira vez, graças a democratização do serviço.

10 – Como será a prática de consultas on-line depois da pandemia?

Apesar de lidar com um tema tão delicado, que é a saúde mental, é natural que os profissionais se adequem e aprimorem os atendimentos virtuais com o tempo.

Essa atenção remota dispensada ao paciente também promove mais proximidade e aumenta as chances de um tratamento de sucesso, baseado na confiança entre as partes.

A consulta on-line não surgiu para extinguir a presencial, mas sim, para complementar e também promover acessibilidade, ou seja, sendo benéfica a um maior número de pacientes.

banner_plataforma_egolife

Saúde emocional vai além de sorrir sempre

saude_emocional

Os cuidados com a saúde física já são um assunto comum até mesmo entre as pessoas mais “rebeldes” quando o assunto é alimentação saudável e praticar exercícios físicos, que são medidas básicas. Porém, falar de saúde emocional ainda é motivo de preconceito para muitas pessoas, por acreditarem que só se consulta com um profissional quem tem problemas psicológicos ou é taxado por termos que preferimos não mencionar aqui.

Por outro lado, ter uma boa saúde mental também não significa estar sempre “de bem com a vida”, como se problemas, aborrecimentos e situações desfavoráveis não existissem. Ficou surpreso? Então leia esse post até o final!

O que é saúde emocional?

Como o próprio nome sugere, a saúde emocional tem a ver com nossa mente, nosso lado não físico, mas igualmente necessitado de cuidados e atenção. Porém, é comum deixar as questões psicológicas de lado e interferir de forma negativa na rotina, podendo levar ao adoecimento.

O assunto saúde mental ainda é um tabu para muitos, pois ao longo da história ter algum transtorno ou mesmo fazer terapia foi erroneamente associado a termos negativos como “maluco” e ninguém quer ser chamado desta maneira.

No entanto, apesar dos esforços das autoridades em saúde para desmistificar este assunto e introduzi-lo no dia a dia da população, muitas pessoas ainda não entenderam que ter uma mente saudável não significa apenas estar livre de um diagnóstico de depressão, transtorno bipolar ou esquizofrenia, por exemplo.

Tem muito mais a ver com equilíbrio e saber lidar de forma adequada com as surpresas da vida e coisas que não podemos controlar. Podemos citar perdas, frustrações, mudanças repentinas, medo, insegurança, estresse e tantos outros aspectos.

Para isso, é importante trabalhar o autoconhecimento, ou seja: saber como você é de verdade, o que te agrada ou desagrada; te deixa ansioso ou tranquilo; faz sentir-se bem ou mal, etc.

Assim, saúde emocional é um aspecto humano formado por diferentes elementos e que pode sofrer influência de ações externas como as atitudes de terceiros.

Sinais de que sua saúde emocional não vai bem

Quando se trata do corpo, é mais fácil perceber sinais e sintomas de que algo não vai bem. Afinal, uma dor ou ferida aberta é fácil de identificar, concorda?

Já as mudanças trazidas por questões emocionais, além de estarem diretamente ligadas a como a pessoa se sente, aparecem constantemente no comportamento, mas também podem manifestar sinais físicos. Assim, os indícios mais comuns de que sua saúde emocional precisa de cuidados são:

  • Desânimo;

  • Irritabilidade exagerada;

  • Alterações de sono;

  • Mudanças no apetite;

  • Mal-estar e dores de cabeça constantes;

  • Cansaço permanente;

  • Baixa imunidade;

  • Tensão muscular;

  • Desleixo com o autocuidado;

  • Chorar por pequenos motivos.

Dicas para preservar e melhorar a saúde mental

Para manter a mente sempre em condições saudáveis é importante investir em qualidade de vida, adotando hábitos saudáveis e priorizando sempre seu bem-estar. Algumas dicas são:

  • Pratique atividade física;

  • Diga não sempre que for preciso;

  • Reserve um tempo para cuidar de si mesmo;

  • Tenha momentos de lazer com regularidade;

  • Priorize uma alimentação saudável;

  • Não leve trabalho para casa;

  • Esteja sempre com as pessoas que ama;

  • Faça terapia.

Dar atenção à saúde emocional não é uma simples opção, é uma necessidade!

banner_plataforma_egolife

Perda Auditiva: O que é, sintomas e tratamentos

perda_auditiva

A perda auditiva, ou surdez, resulta de danos no nervo ou no ouvido interno. Pode ser causada por um defeito congênito, lesão, doença, certos medicamentos, exposição a ruído alto ou desgaste relacionado à idade.

O principal sintoma é a incapacidade de ouvir sons. Em alguns casos, cirurgia ou o uso de um aparelho auditivo podem restaurar a audição.

Habilidades de leitura labial, texto escrito e língua de sinais podem ajudar com a comunicação.

Fontes: Hospital Israelita A. Einstein e outros

Quais são os graus de perda auditiva?

Seus graus podem variar de pessoa para pessoa. Entre os dois extremos “ouvir bem” e “não ouvir nada”, há muitos graus de diminuição de capacidade auditiva. Os termos usados para descrever o grau de perda auditiva são: leve, moderada, severa e profunda. A maior parte se trata de “leve a moderada”. Leia mais: http://bit.ly/2NfwBQU

Perda da audição: tratamentos e causas

  • Perda auditiva induzida por ruído.
  • Surdez senil, que é a que acomete idosos.
  • Perda auditiva neurossensorial, que é devida a um dano no ouvido interno.

O que é considerado perda auditiva?

Quando é de um dos ouvidos pode ser considerada deficiência. … Atualmente, o Decreto 5.296/2004 restringe a deficiência auditiva à perda bilateral, parcial ou total, de 41 decibéis (dB) ou mais, aferida por audiograma nas frequências de 500 Hz, 1.000 Hz, 2.000 Hz e 3.000 Hz. Fonte: http://bit.ly/36eiynB

Qual a doença que pode causar a surdez?

São elas: rubéola, toxoplasmose, sarampo, sífilis, herpes, diabetes, pressão alta, meningite, entre outras. A surdez que essas doenças causam é a chamada surdez de percepção ou neurosensorial. Nesse tipo de surdez ocorre lesão nas células nervosas e sensoriais que levam o estímulo do som da cóclea até o cérebro. Fonte: http://bit.ly/2pdWjO2

banner_plataforma_egolife

O que é Depressão?

depressao

A depressão afeta 5% da população Brasileira e de acordo com a Organização Mundial da Saúde, existe estimativa para que esse transtorno se torne a principal causa da busca pelos serviços de saúde em até 2030.

Fatores que causam a Depressão

Existem diversos fatores que causam a depressão, entre eles o biológico, psicológico e inclusive questões sociais.

Tratamentos Psicológicos e Medicamentosos

Atualmente, existem uma infinidade de tratamentos psicológicos e medicamentosos com eficiência comprovada através de estudos científicos, o problema ainda é o desconhecimento da população diante desse transtorno e seus tratamentos.

 

Somente Medicamentos podem não ser a solução para depressão.

Por se tratar de algo intangível, isto é, não se pode ver ou tocar, a pessoa que sofre desse transtorno, geralmente se sente desvalidada, descreditada pela maioria das pessoas de seu convívio social.

A Depressão existe

A depressão existe! E está presente, e infelizmente gera cada vez mais vitimas a cada dia, principalmente em um mundo aonde as exigências estão cada vez mais altas e inalcançadas.

Nem todas as pessoas que terão depressão ao longo de suas vidas precisaram ir a um profissional médico e psicólogo, algumas conseguirão resolver conversando com amigos, familiares ou com auxílio de sua Fé.

Mas para a aquelas que não conseguem sair dela sozinha, não precisam se sentir fracas, ou incapazes em buscar ajuda de um profissional. Existem tratamentos que podem auxiliar para ter uma qualidade de vida melhor.

Psicólogo ou Psiquiatra?

Ambos os dois profissionais estão preparados para diagnosticar e tratar o transtorno, no entanto, o psiquiatra lida com as questões mais voltadas ao biológico e medicamentosos, e o psicólogo com questões psicológicas e sociais que implicam ao adoecimento e seus sintomas, os dois são importantes.

Precisa de ajuda, então procure a gente

Se precisar de ajuda para passar por isso, pode contar com a EgoLife! Oferecemos serviços em psicologia e psiquiatria disponíveis na região de São Paulo próximo do Metrô Borba Gato!

banner_plataforma_egolife

15 Sinais de um Relacionamento Tóxico

Por: Laura Potrich

Quando nos envolvemos com alguém, não imaginamos estar em um relacionamento tóxico, pois nem sempre nos damos conta de algumas características nocivas desta pessoa. Estamos tão envolvidos emocionalmente que ignoramos os sinais que são dados desde o início.

E depois de um tempo, quando o encantamento diminui, e faz parecer que as lentes dos nossos óculos da vida começam a desembaraçar, nos damos conta que estamos em um relacionamento recheado de brigas, discussões e ao nosso lado está alguém que não nos completa, nem mesmo nos faz feliz.

Mas mesmo assim, sentimos que há algo que nos prende a esta pessoa.

O que é relacionamento tóxico?

O relacionamento tóxico pode ser resumido pelo desejo de controlar o parceiro(a) pelo só desejo de controlar, de tê-lo apenas para si. Esse comportamento surge aos poucos, sutilmente, e vai passando dos limites, causando sofrimento e dor.

Se o seu relacionamento apresenta algum dos sinais abaixo, talvez você esteja vivendo em um relacionamento tóxico. Fique atento e procure ajuda.

Sinais do relacionamento tóxico

1 Acúmulo de chateações:

Ao invés de conversarem sobre algum incômodo na relação, vocês guardam as informações, deixando isso virar uma grande bola de neve, e optam por revelar esses incômodos em um momento oportuno, quando outra discussão vem à tona.

Se na hora que acontecer a situação desconfortável você não se sentir confortável para falar, deixe a poeira baixar e converse. Ficar acumulando todos os vacilos e soltar de uma vez só, não vai resolver nada.

2 Crítica desmedida:

No início do relacionamento até achamos que encontramos a pessoa perfeita. Mas na verdade esta perfeição não existe. As críticas são naturais e acontecem, porém, quando feitas de maneira desmedida tornam a relação tóxica.

Já parou para refletir se as críticas que você recebe são para lhe diminuir? Se sim, não permita que isso aconteça.

3 Energia negativa:

Se você, ao estar com seu parceiro ou sua parceira sente um certo desconforto, um clima tenso, se você está em constante estado de ansiedade e não consegue fazer nada direito, estes são sinais de que a energia entre vocês é pesada e negativa. Ou seja, estás vivendo um relacionamento tóxico.

4 Você fica “pisando em ovos” quando estão juntos:

Quando vocês passam muito tempo juntos, você começa a sentir-se ansioso(a)) querendo ir embora, porque pensa que a qualquer momento pode começar uma briga entre vocês? Você fica “pisando em ovos” porque ele/ela pode explodir por qualquer motivo?

O parceiro(a) deve ser alguém que gostamos de estar junto. Mesmo com momentos de estresse e divergências não deve ser cercado pela angústia. É fundamental a confiança e o respeito, mesmo que vocês pensem diferente.

5 Você não é você mesmo:

Mudar faz parte do ser humano, e na maioria das vezes é muito positivo. Em um relacionamento não é diferente, mudar para a mesma direção é ótimo. Porém quando a mudança é para direção que você não quer, e que você acaba não se reconhecendo como pessoa, é um sinal de alerta.

Faça um teste: se você se comporta diferente quando está com seus amigos e sem seu companheiro(a) e eles percebem isso, é sinal de que a relação está intoxicada.

6 Sua relação traz à tona suas piores qualidades:

Você vive em estado de tensão, a ponto de as pessoas não te reconhecerem mais, inclusive se afastarem de você. Provavelmente seu companheiro(a) está eliciando em você suas piores qualidades, aquelas que você as mantinha guardadas e raramente utilizava.

Se seus amigos estão te relatando que você está diferente de forma negativa, fique atento(a)!

7 Há uma constante luta pelo poder:

É normal discutir em uma relação, porém, quando essa discussão parece estar focada em quem vai ganhar a briga ao invés de resolver o conflito.

Se a preocupação de um dos dois é estar no controle mais do que resolver a situação, para que caminho esta relação está indo? Relacionamento é como gangorra, para os dois se darem bem é preciso que ela esteja equilibrada.

8 Frequentes crises de ciúme:

Para algumas pessoas o ciúme é sinal de proteção e amor. Mas existem outras formas mais saudáveis de cuidar, proteger e amar.

O ciúme indicam falta de confiança. E como manter relação saudável sem confiança? Em uma relação saudável você deve ter a liberdade de ser quem você é e confiar na pessoa. Vale lembrar que o ciúme obsessivo é uma doença e há tratamento para isso.

9 Você não enxerga o futuro da relação:

Não estou falando em ter planejamento a dois até o final dos seus dias. Mas é natural, em um relacionamento, que haja planos para curto e médio prazo, como por exemplo: a viagem das próximas férias.

Se você não consegue visualizar nada a dois, por que desperdiçar o seu tempo?

10 Você simplesmente não está feliz:

Se o seu relacionamento está tão pesado quanto aquele projeto difícil, ou aquela matéria que você precisa passar na faculdade, então, talvez, seja a hora de deixá-lo de lado.

Muitas vezes as coisas que planejamos não saíram conforme o pensado. Porém para estarmos em um relacionamento é preciso que tenhamos mais momentos de felicidade do que de ansiedade, preocupação, etc. Se você doa tudo de si e não recebe nada em troca, qual o sentido de ter alguém ao seu lado?

11 Não há apoio nas suas escolhas de vida ou metas:

Se você já ouviu comentários que seus sonhos e metas são estúpidos ou que você nunca vai alcançar seus objetivos, talvez tenha que rever sua relação.

Alguém que te quer bem, apoia suas decisões mesmo que não concorde com elas. Inclusive, a sua felicidade é importante para a pessoa que te ama.

12 Tudo é culpa sua:

Você é a raiz de todo mal. Qualquer coisa que dê errado é culpa sua. Ele/ela culpa você por todas as suas inseguranças, e é incapaz de pedir desculpas caso perceba que seu comportamento está errado. Isso é um grande sinal de alerta para o relacionamento tóxico.

13 Frequentes ameaças de término do relacionamento:

Esse é clássico! Esse jogo é cruel, sempre que o outro está insatisfeito ameaça romper o relacionamento. Isso pode acontecer principalmente se ele/ela sabe que você vai implorar para que ele não vá embora. Pessoas assim se alimentam da carência e inconscientemente procuram parceiros(as) que possam controlar.

14 Suspeitas acontecem o tempo todo:

Todo relacionamento precisa de um nível de privacidade. E para isso é fundamental confiar um no outro. Se ele/ela quer saber constantemente o que está rolando no seu espaço de privacidade, isto mostra um nível tóxico de controle.

É humilhante. O relacionamento é entre adultos, e não é necessário supervisão constante. E caso venha o sentimento de culpa depois que você disse a ele/ela que não o deixaria acessar suas coisas, este é um ponto crucial para que tu busques ajuda para sair desta relação.

15 Dependência:

Em um relacionamento tóxico há dependência do outro, tanto financeira, emocional ou física. Quando você dá sinais de que vai cuidar de si, o outro detesta e tentar manter você sob controle.

E por vezes, o outro faz você acreditar que não tem capacidade para realizar seus planos. Além de não dar atenção para seus sentimentos que não tenham relação com ele/ela.

Se você identificou alguns dos sinais acima no seu relacionamento, talvez esteja na hora de deixar ir, seguir o seu caminho sem esta pessoa.

Como se curar de um relacionamento tóxico?

De fato não é tarefa simples. Na maioria das vezes as pessoas negam a situação, e não enxergam o quão doentio é insistir em algo que prejudica tanto a saúde emocional, mental e física.

O primeiro passo para sair do relacionamento tóxico é aceitar que está dentro de um. O segundo passo é construir um sistema de apoio, deixando as pessoas se aproximarem e ajudarem.

É fundamental também o investimento no autoconhecimento, para conseguir enxergar o que te fez escolher se manter em um relacionamento assim.

Alguns exercícios que ajudam é desabafar escrevendo, ler livros de autoajuda, e o principal, procurar um psicológo para ressignificar o que foi vivido e construir um futuro melhor para as próximas relações.

Fonte: https://www.psicologiaviva.com.br

banner_plataforma_egolife

10 Receitas de Sucos para Desinchar

sucos_para_desinchar

Uma das principais responsáveis pelo inchaço é a retenção de líquido, que se trata de um acúmulo excessivo de água entre as células que causa desconforto e faz com que uma pessoa engorde dois quilos em um dia. Ela pode surgir em períodos em que há a alteração hormonal como gravidez, menstruação e Tensão Pré-Menstrual (TPM). Você deve procurar o seu médico ao perceber o inchaço, para que a retenção de líquido ou outro problema seja diagnosticado e para saber como tratá-lo. Porém, enquanto isso não acontece, ainda é possível incluir uma ajuda na alimentação do dia a dia para se livrar do incômodo: o suco para desinchar. 

Agravada por um quadro de falta da prática de exercícios físicos e o uso de medicamentos corticoides, a condição também pode ocorrer por conta de uma dieta rica em sódio e pobre em proteínas, fatores genéticos, consumo de pílulas anticoncepcionais de alta dosagem, o uso de roupas apertadas que atrapalham a circulação e o estresse que altera os hormônios.

Outros fatores que contribuem com o inchaço são: pular refeições, mascar chiclete, o consumo de produtos laticínios, a ingestão de frituras e comidas processadas, tomar refrigerante e comer muitas fibras, carboidratos e alimentos que produzem gases.

E, por conta de ingredientes como o abacaxi, a hortelã e as sementes de linhaça, que são diuréticos, ou seja, aumentam a quantidade de líquido que é eliminado pelo corpo por meio da urina, esta receita de suco para desinchar é benéfica para quem sofre com retenção de líquido.

Conheça e aprenda a preparar estas receitas de suco para desinchar que separamos na lista abaixo e aproveite todos os benefícios que eles podem trazer:

01. Suco de ameixa, abacaxi e hortelã

Ingredientes:
1 ameixa preta seca;
2 fatias de abacaxi;
3 folhas de hortelã;
1 colher de sopa de semente de linhaça;
200 ml de água.

Modo de preparo:
Juntar todos os ingredientes e levar ao liquidificador;
Bater, servir-se e bom apetite!

Por conta de ingredientes como o abacaxi, a hortelã e as sementes de linhaça, que são diuréticos, ou seja, aumentam a quantidade de líquido que é eliminado pelo corpo por meio da urina, esta receita de suco para desinchar é benéfica para quem sofre com retenção de líquido.

2. Suco de morango e abacaxi

Ingredientes:
4 morangos;
2 fatias de abacaxi;
200 ml de água de coco.

Modo de preparo:
Juntar todos os ingredientes e levar ao liquidificador;
Bater, servir-se e bom apetite!

O abacaxi é um excelente diurético, como já vimos acima. Na lista de ingredientes deste suco para desinchar ainda temos o morango, que também apresenta propriedades diuréticas e a água de coco, que também ajuda a combater o inchaço devido à presença de potássio em sua composição, que colabora com a eliminação de líquidos do corpo.

3. Suco de morango com limão e erva-cidreira

Ingredientes:
6 morangos;
Suco de limão a gosto;
200 ml de chá de erva-cidreira.

Modo de preparo:
Juntar todos os ingredientes e levar ao liquidificador;
Bater, servir-se e bom apetite!

O terceiro item da nossa lista de receitas de suco para desinchar pode ajudar quem sofre com retenção de líquido por trazer o morango, que é diurético, e o limão, que ajuda a desintoxicar os rins, que filtram impurezas e eliminam em forma de urina, levando o que foi filtrado e reabsorvido até a bexiga urinária. Ali é que a urina é armazena para depois ser eliminada por meio da uretra.

4. Suco de abacaxi, gengibre, erva-doce e aipo

Ingredientes:
½ abacaxi pequeno;
½ erva-doce média;
2 talos de aipo;
2,5 cm de gengibre.

Modo de preparo:
Juntar todos os ingredientes e levar ao liquidificador;
Bater, servir-se e bom apetite!

Além do abacaxi, que é diurético, como já vimos nas outras opções de suco para desinchar, esta receita traz o aipo, que também ajuda a combater o inchaço e a retenção de líquidos. O vegetal é diurético por conta da presença de um composto oleoso em sua composição, o que ajuda a aumentar a quantidade de urina, eliminando o excesso de água no corpo e reduzindo o inchaço. Uma pesquisa realizada com ratos mostrou que os animais que receberam extrato de aipo registraram aumento no seu volume de urina.

Isso sem contar a erva-doce e o gengibre, que ajudam a reconstruir a flora intestinal, que quando está e desequilíbrio afeta a digestão e o sistema imunológico.

5. Suco de melancia, pepino e limão

Ingredientes:
900 g de melancia cortada em pedaços;
4 pepinos picados;
Suco de dois limões.

Modo de preparo:
Passar a melancia e os pepinos pela centrífuga;

Misturar os dois com o suco de limão e despejar o suco em uma jarra. Armazenar a jarra na geladeira para tomar a bebida gelada quando preferir.

92% da composição da melancia consiste em água, o que torna a fruta um poderoso diurético. O suco para desinchar feito com o ingrediente ajuda a expulsar o excesso de sal do corpo, e o resultado disso é que o corpo entende que não há a necessidade de reter água como forma de se proteger contra a desidratação que as doses exageradas de sal no organismo trazem.

O pepino também é composto por bastante água e trata-se de um diurético natural que age de maneira similar à melancia, ao estimular a liberação do excesso de sal do corpo por meio da urina. O limão, além de desintoxicar os rins como vimos nas receitas anteriores, também atua de maneira parecida com o pepino e a melancia ao remover o excesso de sal do organismo, e ainda ajuda a aliviar a prisão de ventre.

6. Suco de abacaxi com cenoura

Ingredientes:
120 g de abacaxi em pedaços;
20 g de cenoura ralada;
1 fatia de gengibre;
3 folhas de hortelã;
5 pedras de gelo.

Modo de preparo:
Juntar todos os ingredientes e levar ao liquidificador;
Bater, servir-se e bom apetite!

Este suco para desinchar conta com os efeitos diuréticos do abacaxi, da hortelã e da cenoura, que possui um alto teor de água em sua composição.

7. Suco de maçã, couve e água de coco

Ingredientes:
1 copo de água de coco;
1 folha de couve;
1 maçã pequena sem semente.

Modo de preparo:
Colocar todos os ingredientes no liquidificador;
Bater e tomar imediatamente.

Como vimos lá acima, a água de coco ajuda a combater o inchaço por ser fonte de potássio. A maçã é considerada uma fruta naturalmente diurética também pelo fato de possuir o mineral em sua composição.

8. Suco de melão, hortelã e água de coco

Ingredientes:
200 ml de água de coco;
8 folhas de hortelã;
1 fatia de melão.

Modo de preparo:
Juntar todos os ingredientes no liquidificador;
Bater e servir com gelo, se assim desejar.

Assim como a água de coco, o melão é fonte de potássio, um mineral que contribui com a eliminação de líquidos do organismo. Por sua vez, a hortelã ajuda a tornar o processo de digestão mais rápido, o que ajuda a prevenir o inchaço.

9. Suco de maçã, limão e aipo

Ingredientes:
Suco de 1 limão;
2 maçãs picadas;
2 talos de aipo bem picadinhos.

Modo de preparo:
Juntar todos os ingredientes no liquidificador;
Bater e servir com gelo, se assim desejar.

Já sabemos que a maçã é diurética por ser fonte de potássio, que o limão ajuda a desintoxicar os rins, que filtram impurezas e eliminam em forma de urina, levando o que foi filtrado e reabsorvido até a bexiga urinária e que o aipo é diurético por conta da presença de um composto oleoso em sua composição, o que ajuda a aumentar a quantidade de urina, eliminando o excesso de água no corpo e reduzindo o inchaço.

10. Suco de pera e melancia

Ingredientes:
½ fatia de melancia;
½ pera;
Água de coco.

Modo de preparo:
Colocar os ingredientes no liquidificador;
Bater bem e servir com gelo, se assim preferir.

A essa altura você já sabe que a água de coco ajuda a combater o inchaço devido ao fato de ser fonte de potássio e que a melancia é rica em água, o que a torna um ótimo diurético. Além disso, este suco para desinchar leva a pera, uma fruta que também funciona como diurético, aumentando o efeito que o suco traz de aumentar a quantidade de líquido retido no organismo que será eliminado por meio da urina.

Fonte:  https://www.mundoboaforma.com.br 

banner_plataforma_egolife

Qual a importância da arteterapia para crianças?

arteterapia

A primeira coisa que devemos fazer é definir seu conceito antes de começar a falar de arteterapia para crianças. Trata-se de uma tendência criativa muito benéfica para todas as idades. Mas, se aplicada na infância, pode potencializar as capacidades intelectuais das crianças.

  • Arte. Refere-se a tudo aquilo que o ser humano faz para se recriar de maneira estética. Em relação a algum aspecto que o rodeia ou alguma emoção ou sentimento para o qual são utilizados vários instrumentos. Como, por exemplo: a pintura, a música, a dança, etc.
  • Terapia. Consiste em colocar em prática um conjunto de ações ou ideias para a superação de um problema físico ou mental.

Por meio da arteterapia, pode-se criar expressões do mundo interior. Ainda, aprende-se a se expressar e o mais importante é sua contribuição para resolver os problemas emocionais e psicológicos. É importante saber que a técnica pode ser aplicada em crianças, adolescentes e adultos.

Por que estas duas palavras se unem?

O principal aspecto é porque estas duas palavras juntas criam um ambiente mais poderoso. Como se sabe, a arte é uma forma de desintoxicar o corpo humano. É uma excelente forma de fazer catarse.

Por meio da arteterapia procura-se liberar assertivamente as emoções, entreter a mente e alegrar o espírito.

Como pais e por nos encontrarmos em pleno desenvolvimento da educação das crianças, devemos ter cuidado na hora de compartilhar com elas toda a nossa paz e bem-estar. Sempre devemos ter em mente a importância de orientar nossos filhos de forma saudável.

Sempre que for trabalhar com estes exercícios de arteterapia para crianças é importante contar com uma pessoa responsável para que guie o processo e ajude, se for necessário. Porém, é preciso saber aproveitar, já que existem muitas possibilidades dentro destas atividades criativas.

Benefícios dos exercícios de arteterapia para as crianças

  1. Diversão.
  2. Desenvolvimento da inteligência.
  3. Bem-estar emocional.
  4. Aumento da criatividade e da capacidade de inventar.

A arte não é o que você vê, mas, sim, o que faz os outros verem.

– Edgar Degas-

Diz-se que os exercícios de arteterapia para crianças desempenham uma função específica. O importante é poder determinar como pode ser a sua aplicação em pessoas ou grupos. Porém, fazendo um bom acompanhamento e dando um foco melhor à arteterapia, pode-se aplicar estas atividades para desenvolver habilidades e canalizar certas emoções.

Gostou? Então traga os seus filhos e conheçam o trabalho de arteterapia com a professora Carmen Lúcia Dalano, saiba mais e agende a sua visita no (11) 518-5024.

Fonte: https://soumamae.com.br/12-exercicios-de-arteterapia-para-criancas/

banner_plataforma_egolife

6 sinais de que você precisa consultar um profissional de saúde mental

saude_mental

Importância de cuidar da saúde mental

Considere o seguinte: qualquer sinal de palpitação ou desconforto no peito vai te mandar correndo pro consultório do cardiologista. Você não liga para o médico quando tem um resfriado, mas também não deixa de tomar remédios. O mesmo vale para dor nas costas – você espera um ou dois dias e, se ela não passar, procura ajuda. Mas, quando as pessoas sofrem com oscilações constante das emoções, raiva e longos períodos de tristeza, quantas delas você acha que procuram um psicólogo ou psiquiatra? Pouquíssimas. Somente uma pequena parte da população procura a ajuda de profissionais para lidar com questões de saúde mental. A maioria das pessoas simplesmente espera o problema passar.

“Achamos que os altos e baixos são parte da vida e que temos de lidar com eles por conta própria”, diz Jawahar Shah, co-fundador da Welcome Cure, uma clínica virtual que tem mais de cem médicos e oferece ajuda online.

“Às vezes as coisas não são tão simples”.

E elas podem ser fatais: transtornos mentais são doenças sérias, causadas por um desequilíbrio nos neurotransmissores (tais como dopamina e serotonina), que funcionam como reguladores de humor e controlam o sono, o estresse e assim por diante.

Segundo um relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) , uma pessoa entre quatro será afetada por problemas mentais ou neurológicos em algum momento de suas vidas.

Em 2010, um estudo conduzido no NIMHANS (sigla em inglês para Instituto Nacional de Saúde Mental e Neurociências) indicou que o fardo dos transtornos mentais e comportamentais atingia de 9,5 a 102 pessoas para cada mil.

“Como qualquer outra doença, qualquer tipo de transtorno mental é tratável. Quanto mais cedo diagnosticado, mais fácil curá-lo”, diz Jay Shastri, tesoureiro honorário da Associação Indiana de Psiquiatria Biológica.

Veja abaixo seis sinais que merecem atenção e pelo menos um check-up com seu médico, para descartar a possibilidade de doença.

1. Seu humor oscila

“De acordo com o levantamento do consórcio de saúde mental da OMS, transtornos de humor são a segunda doença mais prevalente de todos os transtornos mentais”, diz Harsheen Arora. É normal experimentarmos mudanças de humor causadas por mudanças nas circunstâncias que nos rodeiam.

O importante é observar quando a mudança de humor é desproporcional. “Ficar atolado em emoções e ter dificuldade para sair desse estado” é algo a ter em conta, diz Harini Ramchandran, co-fundadora da Escola de Excelência, uma instituição de programação neurolinguística.

Fique atento para estes sintomas: “Se você se irrita ou se frustra com facilidade e seus níveis de tolerância estão muito baixos”, diz Sanju Gambhi, psiquiatra do Primus Super Specialty Hospital. “Você tem dificuldade de processar corretamente o que as pessoas dizem, sem encontrar explicações razoáveis.”

2. Você sente uma dor inexplicável

A dor é uma mensageira — seu corpo enviando alguns sinais físicos na tentativa de avisá-lo de que há um problema de saúde mental à espreita.

O sinal de alerta virá “na forma de sintomas físicos ou somáticos inexplicáveis, tais como dores no corpo, sintomas gastrointestinais e assim por diante”, diz Samir Parikh, diretor de saúde mental e ciências comportamentais da Fortis Healthcare.

3. Seu mundo parece desmoronar (durante um período prolongado)

“Chamo de efeito cascata múltiplo: quando os relacionamentos com pessoas importantes (amigos, pais, parceiros) ficam confusos e você tende a odiar as pessoas, há um problema”, afirma Ramchandran.

Se você sentir que está perdendo contato com o mundo funcional — relações interpessoais, socialização etc. –, provavelmente é hora de parar e reavaliar sua saúde mental.

Arora cita um exemplo: “Um cliente de 28 anos de idade pediu ajuda para lidar com suas explosões de raiva. Ele disse que essas explosões tinham aumentado nos últimos dois meses, colocando em risco relacionamentos importantes e também seu emprego.

Descobriu-se que a irritabilidade e raiva decorriam de uma depressão subjacente”.

4. Você tem problemas para dormir e falta de apetite

Ambos são sintomas muitas vezes ignorados. “Muitos transtornos mentais estão associados a distúrbios do sono”, diz Arora. “Psicoses, transtornos de humor, transtornos de ansiedade, síndrome do pânico e alcoolismo e costumam ser observados em pacientes que se queixam de problemas para dormir”, acrescenta ela.

Dito isto, não se assuste à toa: não conseguir dormir de vez em quando, ou ter insônia depois de um dia agitado, é normal.

Arora também revela que, na Índia, a prevalência e a incidência da anorexia nervosa não são conhecidas com exatidão, apesar de haver evidências indiretas de várias clínicas e hospitais que os registros têm aumentado nas últimas décadas.

5. Você anda muito esquecido

“A maioria dos problemas psiquiátricos e psicológicos também provocam dificuldades nos processos cognitivos e mentais, incluindo falta de atenção e concentração, esquecimento e dificuldade na tomada de decisões”, diz Parikh. O mesmo vale para a procrastinação.

“Muita gente fica presa num círculo: tenta se concentrar em algo, mas simplesmente não é capaz — uma parte da pessoa quer, mas outra não quer”, diz Ramchandran. Se vivido com muita freqüência, esse conflito interno merece investigação.

6. Você quer se prejudicar ou se ferir

Este é um sinal de alarme que não deve ser ignorado. Você deve agir imediatamente, procurando ajuda. “Se às vezes você sentir o desejo de se ferir fisicamente, com certeza é motivo de preocupação”, diz Gambhi.

Isso inclui o abuso de substâncias. Impulsos incontroláveis de ceder a essas atividades são sinal de que algo não está certo.

 

Por: Aashmita Nayar
Fonte: https://www.huffpostbrasil.com

banner_plataforma_egolife

Como superar a frustação?

frustracao

Nem sempre é fácil manter a calma quando as coisas não saem como o previsto. Muitas vezes, o mal-estar e a sensação de injustiça acaba tomando o controle. E você? Tolera bem a frustração?

O sentimento de frustração é uma resposta natural e instintiva, quando as coisas fogem do controle ou têm um final diferente do que você imaginava. A forma como cada um reage em situações assim, entretanto, têm muito a dizer sobre seus hábitos, as barreiras auto-impostas e limitações.

Segundo especialistas em desenvolvimento pessoal, se a frustração está constantemente presente na rotina, ela tem um efeito bloqueante, que impede o progresso nas diferentes esferas da vida da pessoa. Ela cria uma onda de pessimismo, impede ver as coisas em perspectiva, dinamita a capacidade de reação e afeta a autoestima.

Se a pessoa tem baixa tolerância à frustração e não dá a devida atenção ao impacto negativo que esse comportamento está trazendo, pode acabar debilitando seu equilíbrio emocional e abrindo espaço para problemas como stress, agressividade e depressão.

Romper esse círculo vicioso depende somente da força de vontade da pessoa. Primeiro é importante compreender que, em doses controladas, a frustração tem a capacidade de fazer você avançar, já que provoca incômodo e é esse mal-estar que desencadeia uma reação de superação, de adaptação, de resiliência.

Quando bem administrada, a frustração desperta a vontade de tentar, de seguir adiante, com uma dose extra de motivação. Porém, para que essa seja a tônica, é fundamental assumir o controle, manter uma atitude positiva, sem cair na armadilha do vitimismo. Quer algumas dicas para colocar em prática essa mudança de atitude?

Dicas para tolerar a frustração

O segredo para enfrentar a frustração, aproveitando a parte positiva, sem deixar que ela tenha controle sobre você, é começar a usar suas reações e comportamentos a seu favor, não contra você.

Tudo começa por evitar o sentimento de pena e abatimento, por ter fracassado, por não ter alcançado um objetivo, por não ser capaz de concluir uma tarefa. O próximo passo é analisar seu comportamento em busca daqueles sinais que costumam ser as primeiras demonstrações da frustração em você.

Por que isso é importante? Porque somente conhecendo-os você será capaz de impedir que tomem proporções exageradas. Quando você sabe como reage à frustração, é mais fácil controlar as emoções associadas.

Feito isso, é importante avançar no processo de reflexão, se perguntando por que você tem se sentido frustrado, o que na sua rotina não está funcionando como deveria e que tipo de atitude você deveria tomar para evitar que o panorama siga igual.

Nesse momento, você será capaz de vislumbrar com mais claridade se tem sido parte do problema ou da solução. E a partir daí traçar novas estratégias de ação, que permite redirecionar sua energia em prol dos seus objetivos e seus interesses.

Chegado a este ponto, é importante trabalhar a capacidade e expandir seus horizontes, evitar seguir fazendo as mesmas coisas, do mesmo jeito. Comece por pequenas mudanças na rotina e arrisque-se a provar coisas totalmente novas, sem medo de errar ou de não gostar. Todas essas experiências são válidas e servirão para ampliar seu sentimento de vitalidade e disposição.

Por último, não perca o foco. Para que você consiga ir alcançando suas metas e desfrutando do sabor da conquista, é fundamental não ter várias frentes de ação abertas ao mesmo tempo. Com foco, é mais fácil lograr seu objetivo, superando os obstáculos e corrigindo os eventuais erros cometidos ao longo do processo.

Fonte: https://br.mundopsicologos.com/artigos/como-superar-a-frustacao

banner_plataforma_egolife