fbpx

Luz Azul: A Vilã do Home Office e das Aulas Online

luz_azul

Você sabe quais são os problemas oculares mais comuns por ficar muito tempo em frente a tela do computador ou celular?

Devido ao home office e aulas online, passamos muito tempo em frente as telas. É importante nos atentar a esses riscos, pois estudos provam que a exposição à luz azul artificial afeta a saúde humana.

A luz faz mais do que apenas nos ajuda a enxergar, também é um importante meio de regular nossos ritmos biológicos e afeta nosso bem-estar geral. A luz influencia se estamos ou não acordados, concentrados e produtivos e se nos sentimos energizados e saudáveis.

Estudos científicos confirmaram o efeito biológico da luz em nosso corpo. A luz ultravioleta, por exemplo, influencia a produção de vitaminas. A exposição à luz brilhante e, em particular, a parte de luz azul afeta nosso equilíbrio hormonal. Os hormônios no corpo regulam como a pessoa se sente e também seu ciclo de sono-vigília. Na luz do dia, a parte da luz azul é relativamente alta, ao passo que é significantemente reduzida no período da noite.

Quando está claro lá fora, o corpo libera serotonina – também conhecido como “hormônio feliz” – e cortisol, o hormônio do estresse. Ambos nos fazem sentir despertos e ativos. Porém, a melatonina é considerada como hormônio do sono e faz com que nos sintamos cansados e nos faz dormir profundamente quando está escuro.

A luz, em particular a luz azul, que alcança a retina, também afeta nosso bem estar psicológico. É por isso que a terapia da luz é usada com sucesso para tratar a depressão de inverno e a insônia. Mas, como é frequentemente o caso, o ensinamento “tudo com moderação” ainda se aplica. A exposição a muita luz também carrega certos riscos e também pode ser prejudicial.

Grande parte da exposição não natural à luz azul se dá em decorrência da utilização das lâmpadas de LED.

Essa tecnologia tem sido considerada a “iluminação do futuro”. Veja quais são os riscos:

  • A exposição prolongada a ela durante a noite afeta o ritmo circadiano, causando vários efeitos nocivos. Devido a presença de células sensíveis à luz azul na retina, que suprimem a produção de melatonina (hormônio que promove o sono), afetando a capacidade de dormir e inibindo a sonolência, ou seja crianças tendem a dormir menos , levando –os a complicações como olho seco, irritados.
  • Potencial efeito negativo da luz azul nas retinas humanas durante a noite, aumentando o risco de desenvolvimento de degeneração macular e de outras patologias relacionadas à idade.

Como os serviços digitais estão mudando nossa visão

Tablets, smartphones e outras telas digitais não estão mudando somente o espectro de luz a que estamos expostos – também estão mudando nosso comportamento visual. É importante reconhecer que estamos passando mais tempo olhando as coisas “de perto” do que fazíamos antes. Isso muitas vezes se deve ao brilho de fundo ser muito baixo. E até as crianças apresentam esse problema: a “miopia escolar” está relacionada ao aumento da propensão das crianças de ter miopia assim que entram na escola.

Se deixarmos de dedicar um tempo suficiente a olhar de longe, nossos olhos não terão muitas oportunidades de relaxar e nós essencialmente “desaprenderemos” a focar rapidamente a várias distâncias. Isso causa tensão digital nos olhos. Além disso, naturalmente piscamos menos quando estamos olhando fixamente para telas digitais e, com isso, o líquido lacrimal hidrata menos a córnea. Isso pode causar tensão e cansaço ocular. No pior caso, pode até comprometer a nossa visão.

Nossa dica: Recomendamos fazer um maior número de intervalos para os olhos, olhando à distância com muito mais frequência – mesmo quando está trabalhando em seu notebook, tablet ou smartphone. E não se esqueça de expor seus olhos a um nível de brilho suficiente, sem deixar de protegê-los adequadamente contra o excesso de luz UV e azul violeta.

Se você e sua família estão também diante deste cenário, é a hora de rever o tempo de uso das telas e procurar seu oftalmologista para uma melhor avaliação clínica e indicação de lentes especificas para bloquear a luz azul nociva.

Agente sua consulta agora mesmo com a Dra Renata Magrino, clique aqui.

Fonte: Zeiss, Ecycle

banner_plataforma_egolife