fbpx

O que é Depressão?

depressao

A depressão afeta 5% da população Brasileira e de acordo com a Organização Mundial da Saúde, existe estimativa para que esse transtorno se torne a principal causa da busca pelos serviços de saúde em até 2030.

Fatores que causam a Depressão

Existem diversos fatores que causam a depressão, entre eles o biológico, psicológico e inclusive questões sociais.

Tratamentos Psicológicos e Medicamentosos

Atualmente, existem uma infinidade de tratamentos psicológicos e medicamentosos com eficiência comprovada através de estudos científicos, o problema ainda é o desconhecimento da população diante desse transtorno e seus tratamentos.

 

Somente Medicamentos podem não ser a solução para depressão.

Por se tratar de algo intangível, isto é, não se pode ver ou tocar, a pessoa que sofre desse transtorno, geralmente se sente desvalidada, descreditada pela maioria das pessoas de seu convívio social.

A Depressão existe

A depressão existe! E está presente, e infelizmente gera cada vez mais vitimas a cada dia, principalmente em um mundo aonde as exigências estão cada vez mais altas e inalcançadas.

Nem todas as pessoas que terão depressão ao longo de suas vidas precisaram ir a um profissional médico e psicólogo, algumas conseguirão resolver conversando com amigos, familiares ou com auxílio de sua Fé.

Mas para a aquelas que não conseguem sair dela sozinha, não precisam se sentir fracas, ou incapazes em buscar ajuda de um profissional. Existem tratamentos que podem auxiliar para ter uma qualidade de vida melhor.

Psicólogo ou Psiquiatra?

Ambos os dois profissionais estão preparados para diagnosticar e tratar o transtorno, no entanto, o psiquiatra lida com as questões mais voltadas ao biológico e medicamentosos, e o psicólogo com questões psicológicas e sociais que implicam ao adoecimento e seus sintomas, os dois são importantes.

Precisa de ajuda, então procure a gente

Se precisar de ajuda para passar por isso, pode contar com a EgoLife! Oferecemos serviços em psicologia e psiquiatria disponíveis na região de São Paulo próximo do Metrô Borba Gato!

banner_plataforma_egolife

6 sinais de que você precisa consultar um profissional de saúde mental

saude_mental

Importância de cuidar da saúde mental

Considere o seguinte: qualquer sinal de palpitação ou desconforto no peito vai te mandar correndo pro consultório do cardiologista. Você não liga para o médico quando tem um resfriado, mas também não deixa de tomar remédios. O mesmo vale para dor nas costas – você espera um ou dois dias e, se ela não passar, procura ajuda. Mas, quando as pessoas sofrem com oscilações constante das emoções, raiva e longos períodos de tristeza, quantas delas você acha que procuram um psicólogo ou psiquiatra? Pouquíssimas. Somente uma pequena parte da população procura a ajuda de profissionais para lidar com questões de saúde mental. A maioria das pessoas simplesmente espera o problema passar.

“Achamos que os altos e baixos são parte da vida e que temos de lidar com eles por conta própria”, diz Jawahar Shah, co-fundador da Welcome Cure, uma clínica virtual que tem mais de cem médicos e oferece ajuda online.

“Às vezes as coisas não são tão simples”.

E elas podem ser fatais: transtornos mentais são doenças sérias, causadas por um desequilíbrio nos neurotransmissores (tais como dopamina e serotonina), que funcionam como reguladores de humor e controlam o sono, o estresse e assim por diante.

Segundo um relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) , uma pessoa entre quatro será afetada por problemas mentais ou neurológicos em algum momento de suas vidas.

Em 2010, um estudo conduzido no NIMHANS (sigla em inglês para Instituto Nacional de Saúde Mental e Neurociências) indicou que o fardo dos transtornos mentais e comportamentais atingia de 9,5 a 102 pessoas para cada mil.

“Como qualquer outra doença, qualquer tipo de transtorno mental é tratável. Quanto mais cedo diagnosticado, mais fácil curá-lo”, diz Jay Shastri, tesoureiro honorário da Associação Indiana de Psiquiatria Biológica.

Veja abaixo seis sinais que merecem atenção e pelo menos um check-up com seu médico, para descartar a possibilidade de doença.

1. Seu humor oscila

“De acordo com o levantamento do consórcio de saúde mental da OMS, transtornos de humor são a segunda doença mais prevalente de todos os transtornos mentais”, diz Harsheen Arora. É normal experimentarmos mudanças de humor causadas por mudanças nas circunstâncias que nos rodeiam.

O importante é observar quando a mudança de humor é desproporcional. “Ficar atolado em emoções e ter dificuldade para sair desse estado” é algo a ter em conta, diz Harini Ramchandran, co-fundadora da Escola de Excelência, uma instituição de programação neurolinguística.

Fique atento para estes sintomas: “Se você se irrita ou se frustra com facilidade e seus níveis de tolerância estão muito baixos”, diz Sanju Gambhi, psiquiatra do Primus Super Specialty Hospital. “Você tem dificuldade de processar corretamente o que as pessoas dizem, sem encontrar explicações razoáveis.”

2. Você sente uma dor inexplicável

A dor é uma mensageira — seu corpo enviando alguns sinais físicos na tentativa de avisá-lo de que há um problema de saúde mental à espreita.

O sinal de alerta virá “na forma de sintomas físicos ou somáticos inexplicáveis, tais como dores no corpo, sintomas gastrointestinais e assim por diante”, diz Samir Parikh, diretor de saúde mental e ciências comportamentais da Fortis Healthcare.

3. Seu mundo parece desmoronar (durante um período prolongado)

“Chamo de efeito cascata múltiplo: quando os relacionamentos com pessoas importantes (amigos, pais, parceiros) ficam confusos e você tende a odiar as pessoas, há um problema”, afirma Ramchandran.

Se você sentir que está perdendo contato com o mundo funcional — relações interpessoais, socialização etc. –, provavelmente é hora de parar e reavaliar sua saúde mental.

Arora cita um exemplo: “Um cliente de 28 anos de idade pediu ajuda para lidar com suas explosões de raiva. Ele disse que essas explosões tinham aumentado nos últimos dois meses, colocando em risco relacionamentos importantes e também seu emprego.

Descobriu-se que a irritabilidade e raiva decorriam de uma depressão subjacente”.

4. Você tem problemas para dormir e falta de apetite

Ambos são sintomas muitas vezes ignorados. “Muitos transtornos mentais estão associados a distúrbios do sono”, diz Arora. “Psicoses, transtornos de humor, transtornos de ansiedade, síndrome do pânico e alcoolismo e costumam ser observados em pacientes que se queixam de problemas para dormir”, acrescenta ela.

Dito isto, não se assuste à toa: não conseguir dormir de vez em quando, ou ter insônia depois de um dia agitado, é normal.

Arora também revela que, na Índia, a prevalência e a incidência da anorexia nervosa não são conhecidas com exatidão, apesar de haver evidências indiretas de várias clínicas e hospitais que os registros têm aumentado nas últimas décadas.

5. Você anda muito esquecido

“A maioria dos problemas psiquiátricos e psicológicos também provocam dificuldades nos processos cognitivos e mentais, incluindo falta de atenção e concentração, esquecimento e dificuldade na tomada de decisões”, diz Parikh. O mesmo vale para a procrastinação.

“Muita gente fica presa num círculo: tenta se concentrar em algo, mas simplesmente não é capaz — uma parte da pessoa quer, mas outra não quer”, diz Ramchandran. Se vivido com muita freqüência, esse conflito interno merece investigação.

6. Você quer se prejudicar ou se ferir

Este é um sinal de alarme que não deve ser ignorado. Você deve agir imediatamente, procurando ajuda. “Se às vezes você sentir o desejo de se ferir fisicamente, com certeza é motivo de preocupação”, diz Gambhi.

Isso inclui o abuso de substâncias. Impulsos incontroláveis de ceder a essas atividades são sinal de que algo não está certo.

 

Por: Aashmita Nayar
Fonte: https://www.huffpostbrasil.com

banner_plataforma_egolife

Como superar a frustação?

frustracao

Nem sempre é fácil manter a calma quando as coisas não saem como o previsto. Muitas vezes, o mal-estar e a sensação de injustiça acaba tomando o controle. E você? Tolera bem a frustração?

O sentimento de frustração é uma resposta natural e instintiva, quando as coisas fogem do controle ou têm um final diferente do que você imaginava. A forma como cada um reage em situações assim, entretanto, têm muito a dizer sobre seus hábitos, as barreiras auto-impostas e limitações.

Segundo especialistas em desenvolvimento pessoal, se a frustração está constantemente presente na rotina, ela tem um efeito bloqueante, que impede o progresso nas diferentes esferas da vida da pessoa. Ela cria uma onda de pessimismo, impede ver as coisas em perspectiva, dinamita a capacidade de reação e afeta a autoestima.

Se a pessoa tem baixa tolerância à frustração e não dá a devida atenção ao impacto negativo que esse comportamento está trazendo, pode acabar debilitando seu equilíbrio emocional e abrindo espaço para problemas como stress, agressividade e depressão.

Romper esse círculo vicioso depende somente da força de vontade da pessoa. Primeiro é importante compreender que, em doses controladas, a frustração tem a capacidade de fazer você avançar, já que provoca incômodo e é esse mal-estar que desencadeia uma reação de superação, de adaptação, de resiliência.

Quando bem administrada, a frustração desperta a vontade de tentar, de seguir adiante, com uma dose extra de motivação. Porém, para que essa seja a tônica, é fundamental assumir o controle, manter uma atitude positiva, sem cair na armadilha do vitimismo. Quer algumas dicas para colocar em prática essa mudança de atitude?

Dicas para tolerar a frustração

O segredo para enfrentar a frustração, aproveitando a parte positiva, sem deixar que ela tenha controle sobre você, é começar a usar suas reações e comportamentos a seu favor, não contra você.

Tudo começa por evitar o sentimento de pena e abatimento, por ter fracassado, por não ter alcançado um objetivo, por não ser capaz de concluir uma tarefa. O próximo passo é analisar seu comportamento em busca daqueles sinais que costumam ser as primeiras demonstrações da frustração em você.

Por que isso é importante? Porque somente conhecendo-os você será capaz de impedir que tomem proporções exageradas. Quando você sabe como reage à frustração, é mais fácil controlar as emoções associadas.

Feito isso, é importante avançar no processo de reflexão, se perguntando por que você tem se sentido frustrado, o que na sua rotina não está funcionando como deveria e que tipo de atitude você deveria tomar para evitar que o panorama siga igual.

Nesse momento, você será capaz de vislumbrar com mais claridade se tem sido parte do problema ou da solução. E a partir daí traçar novas estratégias de ação, que permite redirecionar sua energia em prol dos seus objetivos e seus interesses.

Chegado a este ponto, é importante trabalhar a capacidade e expandir seus horizontes, evitar seguir fazendo as mesmas coisas, do mesmo jeito. Comece por pequenas mudanças na rotina e arrisque-se a provar coisas totalmente novas, sem medo de errar ou de não gostar. Todas essas experiências são válidas e servirão para ampliar seu sentimento de vitalidade e disposição.

Por último, não perca o foco. Para que você consiga ir alcançando suas metas e desfrutando do sabor da conquista, é fundamental não ter várias frentes de ação abertas ao mesmo tempo. Com foco, é mais fácil lograr seu objetivo, superando os obstáculos e corrigindo os eventuais erros cometidos ao longo do processo.

Fonte: https://br.mundopsicologos.com/artigos/como-superar-a-frustacao

banner_plataforma_egolife